Aldeia Diagares

Aldeia Diagares

História

A Aldeia de Diagares, situada dentro da Quinta de Diagares com aproximadamente 48 hectares, localiza-se na freguesia de Valadares, no concelho de Baião.
A aldeia é composta por 12 casas e uma capela, que estavam em estado avançado de degradação.
Recentemente, passaram por um meticuloso processo de restauração que visou dar uma nova vida a estas edificações, preservando sempre a sua traça original.
A Capela, denominada Capela de Santo António, recebeu este nome devido à presença de uma antiga estátua do santo em seu interior.
Esta capela, datada do século XVII, foi restaurada, mantendo-se fiel à sua essência religiosa.

Acomodações

Das 12 casas existentes, 7 foram restauradas para uso residencial, enquanto 3 foram convertidas em uma sala de refeições. Na sala de refeições, há uma esplanada que permite aproveitar a belíssima vista envolvente e uma área de spa que oferece a oportunidade de relaxar ao som da natureza.
Vale destacar que todas as casas estão equipadas com kitchenettes, salas de jantar/lazer e lareiras. Além disso, o local conta com uma sala deconferências com capacidade para aproximadamente 30 a 40 pessoas.

Produtos e Serviços

Serviços de Alojamento com Refeições:

Pequeno-almoço, almoço e jantar.
No restaurante, os hóspedes podem saborear refeições preparadas com produtos regionais, incluindo alguns provenientes da própria quinta.

Funcionamento e Tarifas:

Os serviços estão disponíveis ao longo de todo o ano. As tarifas variam conforme a época: baixa, média e alta. Em períodos festivos, feriados e fins de semana, aplicam-se preços mais elevados.

Horário de Funcionamento da Receção:

De domingo a quinta-feira: das 8h às 20h. Sexta-feira e sábado: das 8h às 22h.
Vésperas de feriados, períodos festivos e época alta: das 8h às 22h

Características do Alojamento:

Conforto e comodidade excecionais. Arquitetura e decoração que refletem a temática rural e a antiguidade das casas da aldeia. Posicionamento no segmento médio-alto, devido à elevada qualidade dos elementos construtivos, equipamentos e decoração.

Atividades

Passeios Pedestres

Disponibilizamos folhetos e roteiros para passeios a pé pela Quinta de Diagares, Aldeia de Diagares - Agroturismo, e pela região envolvente, incluindo a freguesia de Valadares e o concelho de Baião.

Passeios de Bicicleta

Oferecemos 6 bicicletas para que os clientes possam desfrutar de passeios mais longos pelas paisagens do Vale do Douro, com roteiros e folhetos para auxiliar no percurso.

Passeios no Douro

Em colaboração com operadores de passeios fluviais, oferecemos programas de passeios de barco no Rio Douro.

Colheitas e Vindimas

Parcerias com quintas agrícolas, incluindo a própria Quinta de Diagares, proporcionam aos turistas a experiência das colheitas, mostrando tradições e rituais dessas atividades. roduzimos mirtilo, kiwi, citrinos, mel, cereja e pecuária (ovelhas, porcos, etc.).

Atividades

Passeios de Jeep

Proporcionamos passeios pela natureza com jipes, explorando as paisagens deslumbrantes do Vale do Douro, Serra do Marão, Caldas de Aregos e outros locais remotos.

Programas na Quinta

A Quinta de Diagares oferece condições únicas para piqueniques, pesca no Ribeiro da Ermida, camping e exploração da quinta com 2 buggys disponíveis para os visitantes.

Grupos e Empresas

Oferecemos condições especiais para grupos, combinando vários programas personalizados, tividades outdoor, team building, equipamentos para conferências e serviço de coffee break.

Outras atividades

Em parceria com empresas de animação turística e outras entidades, incluindo a Câmara Municipal de Baião, restaurantes da região e a Fundação Eça de Queirós, desenvolvemos diversas atividades turísticas.

Baião

História de Baião

Baião é um concelho no distrito do Porto. Tem a Sul o rio Douro, a Noroeste o rio Tâmega, a Norte e a Nordeste a serra do Marão.
O povoamento destas terras iniciou-se há muitos anos. Pensa-se que terá sido no V ou IV milénio A.C. que terão aparecido os primeiros povoados.
Na serra da Aboboreira e na do Castelo de Matos, estudos arqueológicos, revelaram a existência de uma enorme necrópole megalítica – das maiores em Portugal – que tem aproximadamente 4 dezenas de Mamoas. Os Celtas terão sido o primeiro povo que aqui permaneceu mais tempo. O seu domínio nesta região, está fortemente marcado por Castros, Menires e outros achados arqueológicos. A sua cultura permaneceu sempre neste enclave do Marão e ainda se faz sentir a sua presença nos dias de hoje.
À passagem da Alta para a Baixa Idade Média forma-se a terra de Baião, terra esta que era dominada por um castelo - o Castelo de Matos. Mais tarde, D. João I deu as terras de Baião a um familiar do Condestável D. Nuno Álvares Pereira.
Baião é o concelho com maior percentagem de área verde e floresta no distrito do Porto. Tem vários recursos naturais que são de uma beleza única, tais como a Serra da Aboboreira, a Serra do Marão, a Serra do Castelo de Matos ou os rios Douro, Teixeira e Ovil.
O concelho de Baião é famoso pela qualidade das suas carnes, onde o fumeiro e o anho assado no forno são reis, não esquecendo os seus vinhos.

Baião - Vida Natural

Nas encostas que ligam o pico do Marão ao rio Douro, marcadas por vales “poderosamente cavados”, onde serpenteiam algumas linhas de água como as do Ovil, de Valadares, do Zêzere, e do Teixeira, desenha-se um dos concelhos mais verdes da região…

Baião - Terra de Sabores

A Gastronomia de Baião é tão especial que até há quem diga que Eça de Queiroz se apaixonou tanto pela paisagem desta terra como pelos sabores da sua cozinha tradicional quando escreveu A Cidade e as Serras, referindo o magnífico arroz de favas. A comprová-lo está o título que o embaixador brasileiro, Dário Castro Alves, atribuiu ao dicionário gastronómico cultural queirosiano: Era Tormes e Amanhecia.

Baião - Terra Milenar

A paisagem de Baião é hoje o resultado da forma distinta como o homem ocupou e transformou o território ao longo de milhares de anos, resultando numa paisagem de grande valor cultural, com um forte legado patrimonial. A ocupação mais antiga deste território concentra-se nos planaltos centrais das serras da Aboboreira e do Castelo e remonta à pré-história recente que se estende por um longo período cronológico de quatro mil anos (V ao I milénio A.C.) e inclui diferentes vestígios conhecidos graças ao projeto de investigação do Campo Arqueológico da Serra da Aboboreira.

Baião - Terra de Aventura

Há uma terra que nos convida a fazer parte da aventura, com lugares que nos inspiram, onde a brisa se torna um aliado, as emoções se realizam e a realidade se transforma em sensações. Há uma terra onde podemos ser autênticos e ousados…
Viver é conquistar e experimentar o desconhecido, é subir ao ponto mais alto e gritar, é desfrutar a paisagem, estando lado a lado com os elementos que compõem…
Venha descobrir Baião!

Baião - Terra de Cultura

O concelho de Baião apresenta valores patrimoniais notáveis, panoramas, costumes e tradições que enriquecem e particularizam esta zona do país.
Escritores como Camilo Castelo Branco, Alves Redol, Agustina Bessa-Luís, Soeiro Pereira Gomes e Eça de Queiroz – que eternizou a paisagem do concelho no romance A Cidade e as Serras – e, ainda, o escritor de literatura infanto-juvenil António Mota, referenciam amiúde esta paisagem nas suas obras.
A Fundação Eça de Queiroz, os dólmens da Serra da Aboboreira, o mosteiro de Santo André de Ancede, o património religioso, o artesanato, os pequenos núcleos museológicos e os centros interpretativos convidam-no a visitar Baião.

Aldeia Diagares

História

A Aldeia de Diagares, situada dentro da Quinta de Diagares com aproximadamente 48 hectares, localiza-se na freguesia de Valadares, no concelho de Baião.
A aldeia é composta por 12 casas e uma capela, que estavam em estado avançado de degradação.
Recentemente, passaram por um meticuloso processo de restauração que visou dar uma nova vida a estas edificações, preservando sempre a sua traça original.
A Capela, denominada Capela de Santo António, recebeu este nome devido à presença de uma antiga estátua do santo em seu interior.
Esta capela, datada do século XVII, foi restaurada, mantendo-se fiel à sua essência religiosa.

Acomodações

Das 12 casas existentes, 7 foram restauradas para uso residencial, enquanto 3 foram convertidas em uma sala de refeições. Na sala de refeições, há uma esplanada que permite aproveitar a belíssima vista envolvente e uma área de spa que oferece a oportunidade de relaxar ao som da natureza.
Vale destacar que todas as casas estão equipadas com kitchenettes, salas de jantar/lazer e lareiras. Além disso, o local conta com uma sala deconferências com capacidade para aproximadamente 30 a 40 pessoas.

Produtos e Serviços

Serviços de Alojamento com Refeições:

Pequeno-almoço, almoço e jantar.
No restaurante, os hóspedes podem saborear refeições preparadas com produtos regionais, incluindo alguns provenientes da própria quinta.

Funcionamento e Tarifas:

Os serviços estão disponíveis ao longo de todo o ano. As tarifas variam conforme a época: baixa, média e alta. Em períodos festivos, feriados e fins de semana, aplicam-se preços mais elevados.

Horário de Funcionamento da Receção:

De domingo a quinta-feira: das 8h às 20h. Sexta-feira e sábado: das 8h às 22h.
Vésperas de feriados, períodos festivos e época alta: das 8h às 22h

Características do Alojamento:

Conforto e comodidade excecionais. Arquitetura e decoração que refletem a temática rural e a antiguidade das casas da aldeia. Posicionamento no segmento médio-alto, devido à elevada qualidade dos elementos construtivos, equipamentos e decoração.

Atividades

Passeios Pedestres

Disponibilizamos folhetos e roteiros para passeios a pé pela Quinta de Diagares, Aldeia de Diagares - Agroturismo, e pela região envolvente, incluindo a freguesia de Valadares e o concelho de Baião

Passeios de Bicicleta

Oferecemos 6 bicicletas para que os clientes possam desfrutar de passeios mais longos pelas paisagens do Vale do Douro, com roteiros e folhetos para auxiliar no percurso.

Passeios no Douro

Em colaboração com operadores de passeios fluviais, oferecemos programas de passeios de barco no Rio Douro.

Colheitas e Vindimas

Parcerias com quintas agrícolas, incluindo a própria Quinta de Diagares, proporcionam aos turistas a experiência das colheitas, mostrando tradições e rituais dessas atividades. Produzimos mirtilo, kiwi, citrinos, mel, cereja e pecuária (ovelhas, porcos, etc.).

Atividades

Passeios de Jeep

Proporcionamos passeios pela natureza com jipes, explorando as paisagens deslumbrantes do Vale do Douro, Serra do Marão, Caldas de Aregos e outros locais remotos.

Programas na Quinta

A Quinta de Diagares oferece condições únicas para piqueniques, pesca no Ribeiro da Ermida, camping e exploração da quinta com 2 buggys disponíveis para os visitantes.

Grupos e Empresas

Oferecemos condições especiais para grupos, combinando vários programas personalizados, atividades outdoor, team building, equipamentos para conferências e serviço de coffee break.

Outras Atividades

Em parceria com empresas de animação turística e outras entidades, incluindo a Câmara Municipal de Baião, restaurantes da região e a Fundação Eça de Queirós, desenvolvemos diversas atividades turísticas.

Baião

História de Baião

Baião é um concelho no distrito do Porto. Tem a Sul o rio Douro, a Noroeste o rio Tâmega, a Norte e a Nordeste a serra do Marão.
O povoamento destas terras iniciou-se há muitos anos. Pensa-se que terá sido no V ou IV milénio A.C. que terão aparecido os primeiros povoados.
Na serra da Aboboreira e na do Castelo de Matos, estudos arqueológicos, revelaram a existência de uma enorme necrópole megalítica – das maiores em Portugal – que tem aproximadamente 4 dezenas de Mamoas. Os Celtas terão sido o primeiro povo que aqui permaneceu mais tempo. O seu domínio nesta região, está fortemente marcado por Castros, Menires e outros achados arqueológicos. A sua cultura permaneceu sempre neste enclave do Marão e ainda se faz sentir a sua presença nos dias de hoje.
À passagem da Alta para a Baixa Idade Média forma-se a terra de Baião, terra esta que era dominada por um castelo - o Castelo de Matos. Mais tarde, D. João I deu as terras de Baião a um familiar do Condestável D. Nuno Álvares Pereira.
Baião é o concelho com maior percentagem de área verde e floresta no distrito do Porto. Tem vários recursos naturais que são de uma beleza única, tais como a Serra da Aboboreira, a Serra do Marão, a Serra do Castelo de Matos ou os rios Douro, Teixeira e Ovil.
O concelho de Baião é famoso pela qualidade das suas carnes, onde o fumeiro e o anho assado no forno são reis, não esquecendo os seus vinhos.

Baião - Vida Natural

Nas encostas que ligam o pico do Marão ao rio Douro, marcadas por vales “poderosamente cavados”, onde serpenteiam algumas linhas de água como as do Ovil, de Valadares, do Zêzere, e do Teixeira, desenha-se um dos concelhos mais verdes da região…

Baião - Terra de Sabores

A Gastronomia de Baião é tão especial que até há quem diga que Eça de Queiroz se apaixonou tanto pela paisagem desta terra como pelos sabores da sua cozinha tradicional quando escreveu A Cidade e as Serras, referindo o magnífico arroz de favas. A comprová-lo está o título que o embaixador brasileiro, Dário Castro Alves, atribuiu ao dicionário gastronómico cultural queirosiano: Era Tormes e Amanhecia.

Baião - Terra Milenar

A paisagem de Baião é hoje o resultado da forma distinta como o homem ocupou e transformou o território ao longo de milhares de anos, resultando numa paisagem de grande valor cultural, com um forte legado patrimonial. A ocupação mais antiga deste território concentra-se nos planaltos centrais das serras da Aboboreira e do Castelo e remonta à pré-história recente que se estende por um longo período cronológico de quatro mil anos (V ao I milénio A.C.) e inclui diferentes vestígios conhecidos graças ao projeto de investigação do Campo Arqueológico da Serra da Aboboreira.

Baião - Terra de Aventura

Há uma terra que nos convida a fazer parte da aventura, com lugares que nos inspiram, onde a brisa se torna um aliado, as emoções se realizam e a realidade se transforma em sensações. Há uma terra onde podemos ser autênticos e ousados…
Viver é conquistar e experimentar o desconhecido, é subir ao ponto mais alto e gritar, é desfrutar a paisagem, estando lado a lado com os elementos que compõem…
Venha descobrir Baião!

Baião - Terra de Cultura

O concelho de Baião apresenta valores patrimoniais notáveis, panoramas, costumes e tradições que enriquecem e particularizam esta zona do país.
Escritores como Camilo Castelo Branco, Alves Redol, Agustina Bessa-Luís, Soeiro Pereira Gomes e Eça de Queiroz – que eternizou a paisagem do concelho no romance A Cidade e as Serras – e, ainda, o escritor de literatura infanto-juvenil António Mota, referenciam amiúde esta paisagem nas suas obras.
A Fundação Eça de Queiroz, os dólmens da Serra da Aboboreira, o mosteiro de Santo André de Ancede, o património religioso, o artesanato, os pequenos núcleos museológicos e os centros interpretativos convidam-no a visitar Baião.

História

A Aldeia de Diagares, situada dentro da Quinta de Diagares com aproximadamente 48 hectares, localiza-se na freguesia de Valadares, no concelho de Baião.
A aldeia é composta por 12 casas e uma capela, que estavam em estado avançado de degradação.
Recentemente, passaram por um meticuloso processo de restauração que visou dar uma nova vida a estas edificações, preservando sempre a sua traça original.
A Capela, denominada Capela de Santo António, recebeu este nome devido à presença de uma antiga estátua do santo em seu interior.
Esta capela, datada do século XVII, foi restaurada, mantendo-se fiel à sua essência religiosa.

Acomodações

Das 12 casas existentes, 7 foram restauradas para uso residencial, enquanto 3 foram convertidas em uma sala de refeições. Na sala de refeições, há uma esplanada que permite aproveitar a belíssima vista envolvente e uma área de spa que oferece a oportunidade de relaxar ao som da natureza.
Vale destacar que todas as casas estão equipadas com kitchenettes, salas de jantar/lazer e lareiras. Além disso, o local conta com uma sala deconferências com capacidade para aproximadamente 30 a 40 pessoas.

Produtos e Serviços

Serviços de Alojamento com Refeições:

Pequeno-almoço, almoço e jantar.
No restaurante, os hóspedes podem saborear refeições preparadas com produtos regionais, incluindo alguns provenientes da própria quinta.

Funcionamento e Tarifas:

Os serviços estão disponíveis ao longo de todo o ano.
As tarifas variam conforme a época: baixa, média e alta.
Em períodos festivos, feriados e fins de semana, aplicam-se preços mais elevados.

Horário de Funcionamento da Receção:

De domingo a quinta-feira: das 8h às 20h. Sexta-feira e sábado: das 8h às 22h.
Vésperas de feriados, períodos festivos e época alta: das 8h às 22h.

Características do Alojamento:

Conforto e comodidade excecionais. Arquitetura e decoração que refletem a temática rural e a antiguidade das casas da aldeia.
Posicionamento no segmento médio-alto, devido à elevada qualidade dos elementos construtivos, equipamentos e decoração.

Atividades

Passeios Pedestres

Disponibilizamos folhetos e roteiros para passeios a pé pela Quinta de Diagares, Aldeia de Diagares - Agroturismo, e pela região envolvente, incluindo a freguesia de Valadares e o concelho de Baião

Passeios de Bicicleta

Oferecemos 6 bicicletas para que os clientes possam desfrutar de passeios mais longos pelas paisagens do Vale do Douro, com roteiros e folhetos para auxiliar no percurso.

Passeios no Douro

Em colaboração com operadores de passeios fluviais, oferecemos programas de passeios de barco no Rio Douro.

Colheitas e Vindimas

Parcerias com quintas agrícolas, incluindo a própria Quinta de Diagares, proporcionam aos turistas a experiência das colheitas, mostrando tradições e rituais dessas atividades. Produzimos mirtilo, kiwi, citrinos, mel, cereja e pecuária (ovelhas, porcos, etc.).

Atividades

Passeios de Jeep

Proporcionamos passeios pela natureza com jipes, explorando as paisagens deslumbrantes do Vale do Douro, Serra do Marão, Caldas de Aregos e outros locais remotos.

Programas na Quinta

A Quinta de Diagares oferece condições únicas para piqueniques, pesca no Ribeiro da Ermida, camping e exploração da quinta com 2 buggys disponíveis para os visitantes.

Grupos e Empresas

Oferecemos condições especiais para grupos, combinando vários programas personalizados, atividades outdoor, team building, equipamentos para conferências e serviço de coffee break.

Outras Atividades

Em parceria com empresas de animação turística e outras entidades, incluindo a Câmara Municipal de Baião, restaurantes da região e a Fundação Eça de Queirós, desenvolvemos diversas atividades turísticas.

Baião

História de Baião

Baião é um concelho no distrito do Porto. Tem a Sul o rio Douro, a Noroeste o rio Tâmega, a Norte e a Nordeste a serra do Marão.
O povoamento destas terras iniciou-se há muitos anos. Pensa-se que terá sido no V ou IV milénio A.C. que terão aparecido os primeiros povoados.
Na serra da Aboboreira e na do Castelo de Matos, estudos arqueológicos, revelaram a existência de uma enorme necrópole megalítica – das maiores em Portugal – que tem aproximadamente 4 dezenas de Mamoas. Os Celtas terão sido o primeiro povo que aqui permaneceu mais tempo. O seu domínio nesta região, está fortemente marcado por Castros, Menires e outros achados arqueológicos. A sua cultura permaneceu sempre neste enclave do Marão e ainda se faz sentir a sua presença nos dias de hoje.
À passagem da Alta para a Baixa Idade Média forma-se a terra de Baião, terra esta que era dominada por um castelo - o Castelo de Matos. Mais tarde, D. João I deu as terras de Baião a um familiar do Condestável D. Nuno Álvares Pereira.
Baião é o concelho com maior percentagem de área verde e floresta no distrito do Porto. Tem vários recursos naturais que são de uma beleza única, tais como a Serra da Aboboreira, a Serra do Marão, a Serra do Castelo de Matos ou os rios Douro, Teixeira e Ovil.
O concelho de Baião é famoso pela qualidade das suas carnes, onde o fumeiro e o anho assado no forno são reis, não esquecendo os seus vinhos.

Baião - Vida Natural

Nas encostas que ligam o pico do Marão ao rio Douro, marcadas por vales “poderosamente cavados”, onde serpenteiam algumas linhas de água como as do Ovil, de Valadares, do Zêzere, e do Teixeira, desenha-se um dos concelhos mais verdes da região…

Baião - Terra de Sabores

A Gastronomia de Baião é tão especial que até há quem diga que Eça de Queiroz se apaixonou tanto pela paisagem desta terra como pelos sabores da sua cozinha tradicional quando escreveu A Cidade e as Serras, referindo o magnífico arroz de favas. A comprová-lo está o título que o embaixador brasileiro, Dário Castro Alves, atribuiu ao dicionário gastronómico cultural queirosiano: Era Tormes e Amanhecia.

Baião - Terra Milenar

A paisagem de Baião é hoje o resultado da forma distinta como o homem ocupou e transformou o território ao longo de milhares de anos, resultando numa paisagem de grande valor cultural, com um forte legado patrimonial. A ocupação mais antiga deste território concentra-se nos planaltos centrais das serras da Aboboreira e do Castelo e remonta à pré-história recente que se estende por um longo período cronológico de quatro mil anos (V ao I milénio A.C.) e inclui diferentes vestígios conhecidos graças ao projeto de investigação do Campo Arqueológico da Serra da Aboboreira.

Baião - Terra de Aventura

Há uma terra que nos convida a fazer parte da aventura, com lugares que nos inspiram, onde a brisa se torna um aliado, as emoções se realizam e a realidade se transforma em sensações. Há uma terra onde podemos ser autênticos e ousados…
Viver é conquistar e experimentar o desconhecido, é subir ao ponto mais alto e gritar, é desfrutar a paisagem, estando lado a lado com os elementos que compõem…
Venha descobrir Baião!

Baião - Terra de Cultura

O concelho de Baião apresenta valores patrimoniais notáveis, panoramas, costumes e tradições que enriquecem e particularizam esta zona do país.
Escritores como Camilo Castelo Branco, Alves Redol, Agustina Bessa-Luís, Soeiro Pereira Gomes e Eça de Queiroz – que eternizou a paisagem do concelho no romance A Cidade e as Serras – e, ainda, o escritor de literatura infanto-juvenil António Mota, referenciam amiúde esta paisagem nas suas obras.
A Fundação Eça de Queiroz, os dólmens da Serra da Aboboreira, o mosteiro de Santo André de Ancede, o património religioso, o artesanato, os pequenos núcleos museológicos e os centros interpretativos convidam-no a visitar Baião.